Praia do Boldró - Fernando de Noronha.

Mirante  do Boldró – Fernando de Noronha – PE

Quando a gente nasce, na realidade, quando a gente sai da barriga da mãe e re-inspira esse ar do nosso planeta pelas próprias narinas temos a certeza que sobreviveremos para mais uma experiência fantástica,  A vida, vida como quem diz vi(m) dar. Vim dar amor, alegrias, emoções, em fim, vim dar meu testemunho do merecimento e obrigações por ter re-incarnado. Por ter a obrigação de ser feliz.

Mas aí a vida evolui e a gente vai aprendendo e ensinando. Aliás, na vida ou a gente ta ensinando ou ta aprendendo. Não tem outra dicotomia . De repente a mente, que fora programada pelos conceitos e pré-conceitos dos nos criadores. Na maiorias das vezes nossos pais. E gravaram nela os “temqui”, tem que fazer isso, tem que fazer assim, tem que ser educado, tem que , tem que, “temqui”.

A mente, mente. Nos é induzido que nós somos produto da mente, e não que a mente é um produto nosso. A mente, por ser mentirosa nos “marioneta”, faz a gente acreditar que “temqui”ser assim. E o mundo ama e depende da ação da mente. Das mentiras da mente. O mundo aqui é o inferno, é o purgatório, é o céu. Nada existe lá fora, tudo é aqui, agora e nesse instante. Como nao somos intra-terrestre e sim extra-terrestre, nosso corpo é daqui, mas nosso “ïnspiritu” veio do extra lá. veio do estrela. Somos estrelas, somos luz. O planeta terra na escuridão que se encontra e sob o domínio da luz que se fez, da luz-se-fez, do lúcifer, ele administra e nos tenta, e nos testa. E através do “lob” que o mesmo tem com o mundo termina que nos coloca como escravos dos nosso sonhos mundanos. E vem a cobiça, a inveja, a vaidade, o ciúme , as coisas que nos maltrata, que nos tortura, que nos deixa “desalegres”. E vamos no caminho da ida, tudo é novo e maravilhoso. Tudo é lindo a ponto de nos fazer acreditar que o caminho é só de ida, que nao tem a volta. E o objetivo da ida é a volta. Mas chega um dia que é preciso voltar, é preciso re-tornar ao ponto de uma das  partidas. E o mundo cobra. O deus do mundo, que é o dinheiro e todas as coisas mal intencionadas  através dele por mãos  nao esclarecidas. E começamos a descobrir que a mente é nosso produto e nao nós que somos produto dela. E que a mente é programável, é “organogramamente” possível  de se criar.

CONTINUA….